sábado, 6 de dezembro de 2008

Quem quer dinheiro???

Quem quer dinheiro???

*Jorge Saladino

São José terá no ano que vem, mesmo com toda essa crise quer assola o mundo, um orçamento de 1,2 Bilhão de reais. Como temos hoje uma população em torno de 600.000 habitantes, isso nos dá uma idéia de que a prefeitura tem em caixa 2 mil reais por cabeça para investir na cidade. à grosso modo, isso indicaria que uma família, seja ela de que origem for, que possua 5 membros pai, mãe e 3 filhos contribui com 10.000 reais todo ano para a cidade, onde fica a pergunta: Com 10.000 reais, será que muitas dessas famílias estariam passando sérias necessidades, muitas delas vivendo de doações de cestas básicas, ou de bolsas do governo, ou teriam condições de manter uma vida com o mínimo de dignidade?

Outra pergunta: Será que a grande maioria que vive nas periferias da cidade escondida debaixo do pano, recebem investimentos nas suas regiões na ordem de 2.000 reais por cabeça?.

Pergunto isso pois, se avaliarmos a maioria dos investimentos públicos municipais nestes últimos anos, verificaremos que grande parte deste vasto dinheiro é empregado em regiões que beneficiam pouca gente, na maioria gente abastada. Um exemplo é o belo Jardim japonês com seu telhadinho de ferro gigante chamado Tori, que, apesar do discurso de que seria obra bancada pela iniciativa privada, o grosso quem pagou foi a prefeitura, ou seja, cada cidadão joseense, concordando ou não que o mesmo se situasse frente à um condomínio de alto padrão e fora de mão para a utilização da maioria da população. Custou quase um milhão, será que sua beleza justifica a feiúra de esgotos à céu aberto no Jd. Coqueiro? Ou a fome de crianças subnutridas no extremo da zonal Sul?

E as câmeras de vigilância que custaram a bagatela de 4 milhões e, como sempre, beneficiam as partes mais ricas da cidade, deixando os mapas da violência na periferia de fora? Será que você autorizaria a prefeitura à gastar os seus 10.000 reais da sua família que mora num bairro clandestino esquecido pro Deus para dar mais segurança à quem é rico, mora em condomínio fechado e tem segurança de sobra?

Lógico que algum defensor vai aparecer dizendo: Demos creches pr”essa pobraiada, demos escolas... Você com este dinheiro no bolso, não poderia escolher uma escola melhor pro seu filho em vez de vê-lo obrigado à acreditar que vai virar um jovem empreendedor, o próximo barão do pastel ou da coxinha?

Votamos em vereadores cuja obrigação, entre outras, é zelar pelos gastos públicos, mas na hora de votar o orçamento, PORQUE NUNCA, NENHUM DELES COLOCA UMA EMENDA PARA INVESTIMENTOS NO SEU BAIRRO? Porque sempre falam amém? Porque votam sem ler? Será que é porque assim, fazendo vista grossa, a prefeitura faz também vista grossa para a falta de competênciade seus apadrinhados para os cargos comissionados aos quasi são indicados e dos quais muitos vereadores depois cobram o dízimo?

Será que é por isso que um dono de imobiliária virá secretário de transportes sem nunca ter andado de ônibus e um dono de farmácia vira secretário de defesa do cidadão?

Enquanto isso, a esquerda da cidade, cujas práticas não são muito diferentes fazem lobbie para comandar sindicatos do amém que vão bancar suas mordomias, deixando suas categorias à beira de uma possível onda de desemprego.

Até os artistas da cidade estão entrando de gaiatos defendo nomes que na prática pouco fizeram além de reuniõezinhas cujo fruto é a data da próxima reunião e que, quanto estiveram no poder, muito pouco produziram.

Porque não se articulam de fato para pensar um fazer cultural na cidade que respeite e contemple à todos ao invés de suas panelinhas? Talvez assim surja um líder verdadeiro, fruto das idéias, e não esta coisa de sempre de reinventar nomes podres com salvadores da pátria que só salvam a própria pele.

Chega de demagogia.


Jorge Saladino

8 Comentários:

Anônimo disse...

O Fake do Saladino é o melhor fake que já vi. Paladino da justiça, quem tem boca, mete!

Vão tudo se fuder, quadrilha de vagabundos se São José financiadas pelos coronés

Anônimo disse...

O ype amarelo...

Joca Faria

Num destes sábados atendendo a chamada de Débora Paiva uma universitária que faz ciências sócias... Fui numa escola do Campo fazer um teatrinho de bonecos. Com a minha boa vontade e rompendo os pré-conceitos de alguém formado nas escolas da esquerda e do dito movimento cultural que querem ser profissionais? Fui e não me arrependi atravessei a cidade. Fui à Zona Sul no Campo dos Alemães no projeto Escola da Família me senti muito bem ver tanta gente fazer uma ação desinteressada pelo próximo, professores, diretores, bolsista, COMUNIDADE e até dois empresários que nunca haviam ido aquela comunidade. Que também só vou a eleições das mais diversas... Com um investimento de dois passes de ônibus pude aprender mais que ensinar com o próximo...Estou longe de projetos assim a um tempo. Vejo muitos discursos. E a Débora e aquele povo são mais práticos que toda teoria de esquerda ou direita ou qualquer religião ou partido político. Não é difícil se mobilizar seja você, trabalhador, patrão, desempregado... E outros. Fazer pela próximo esta ao nosso alcance. Basta um empurrãozinho. Acho após um Curso sobre a África é que devemos aprender a cooperar mais e exigir menos de governos e tudo mais. Se aprendermos a nos mexer e se virar criando cooperativas informais até que virem formais. Faremos muito mais que qualquer teoria ou ismo que tomam conta de nos. Chega de nos dividirmos vamos nos juntar e salvar os Ypés os Rios. A Zenilda Lua ficou agoniada com a derrubada de um Ypé vamos nos mexer... Nos temos mais potencial que imaginamos e mais força de vontade. Basta abrir o coração como fizeram Zenilda e Reginaldo criando o Poesia no Prato que ajudou a oxigenar a cidade.Vamos plantar Ypes, fazer trilhas, montar ONGs fomais e informais debater e agir...Chega de apontarmos os defeitos do próximo temos o nosso. Aprendi muito este ano sai um pouco deste computador e abri meus horizontes conhecendo novas pessoas. Oxigenei minhas idéias pré-conceitos não levam ninguém a lugar nenhum. Quero ir além no ano que se inicia recuperar os amigos que perdi, cultivar os novos e conquistar outros. Valeu Almadanha, Débora...Vanessa e tantos outros. Espero que avancemos mais ainda criando aquele grupo de performances para agir na cidade levando solidariedade a todo canto e aprendermos ainda mais com nosso próximo. Agir é o melhor remédio contra qualquer crise pessoal, social ou econômica vamos buscar a criatividade e salvaremos a nós mesmos.

João Carlos Faria

Mundo Gaia

Literatura, filosofia e arte...

www.mundogaia.com.br

Anônimo disse...

pois não é que o q vc escreveu é real,norro em um local que tem pessoas que vivem de coleta de lixo ,falar para eles que tem este montante para ser gasto eles ficarão muito intereçado,falarei com eles e depois direi o que acharão,
Que tal ?
Já relacionado a fun. cul.cass.ricardo e isto mesmo eles quem o emprego que o papanoel tem a lhe dar, sem falar dos recursoas da fundação, cultura oficial não da,tem que questionar o poder!!!!!!!!!!!!!!!!! por isso cultura e poder não funciona.não serve a nada.
falo saladino e isto ai....

Anônimo disse...

soh um movimento cultural de merda pra jogar confete no Craudio Merda.
Soh podi ser do partido verde-cocô

Xico Oliveira disse...

Socorro Gabeira!
Lendo as reportagens do Vale Paraibano e de outros períodicos nacionais de igual respeito e credibilidade, vem sempre uma dúvida na nossa cabeça: o que é o PV, o partido ético, transparente de Gabeira ou o Partido Venal, que passa por cima de qualquer coisa pra tentar se dar bem?
É deputado padre e verde financiado pela indústria de papel, a mesma que tem destruído nosssa paisagem transformando tudo em eucalipto. É o presidente do diretório municipal de São José toda hora dando entrevista cobrando na maior cara de pau suas boquinhas no novo governo. Outro com cara de papai noel que quer se enfiar goela abaixo do prefeito como presidente da Fundação Cultural, juntando-se à meia dúzia de desocupados pra fazer auê no centro da cidade, desqualificando sem cerimônias o trabalho da atual presidente, chegando ao cúmulo de mandar curriculo pro jornal, publicado na edição de domingo.
Quando a coisa vai pra esfera nacional a coisa entorta de vez: Escândalos e mais escândalos envolvendo notas frias, gatunagens e desvios de dinheiro público pelo presidente Pena e seu cumplice metido à padre (eta partido para gostar de padre e de dinheiro, devia virar igreja).
Enquanto isso, nós eleitores e cidadãos ficamos com a impressão de que na política vale tudo e que para os verdes o único verde que importa é o das verdinhas.

Anônimo disse...

Vandalismo oficial o piano?

Joca Faria

O piano no centro de nossa cidade me incomoda...Porque um instrumento tão importante está ao sabor do vento...Qual o sentido desta arte que se deixa deteriorar...Quando soube desta exposição questionável que o SESC trouxe para São José tive a vontade de salvar aquele piano se já tivesse uma sede cultural e algum trocado iria lá e salvaria aquele Piano...Como podem deixar um Piano ao relento...Toquei nele antes saia som. E agora nada...Tá na hora de se repensar estas instalações como arte..Isto é uma grande bobagem que conceito esta por traz é um maluco nem sei o nome dele? Que consegue enganar a diretoria do SESC e vender uma idéia besta. Quanto se gastou como uma exposição desta ? Porque o SESC não deu cinco pianos para instituições da cidade? Isto é vandalismo oficial? Acho que a parti que aqueles pianos estão ali passam a serem propriedades de todos...Merda pro SESC...Como o Danilo aprova isto...Não sei? Parece coisa de nossa Bienal..Tá certo o governo Lula que impõe ao SESC que gaste trinta por cento do orçamento em cursos...É uma instituição importante nos esporte e na cultura...Nunca quis critica La mas tenho deveres enquanto escritor...De não poupar nem os amigos...Sei que este texto passará em branco..Pois o SESC representa o sistema na cultura...Cinco anos para uma reforma é muito tempo? Ta na hora de mais uma unidade nesta cidade? De promover cultura não só como evento, mais investir em formação e profissionalização lá tem as melhores cabeças pensantes? Mas acreditar que este modelo está a salvo de criticas é bobagem...Sou artista e não vagabundo como um texto apócrifo de um tal de Chico que me enviou por apoiarmos Claudio Mendel nossa Cena CULTURAL tem muitos defeitos mas muita coragem não nos escondemos através de textos apócrifos que se publica na Imprensa local..Quando temos que emitir opinião assinamos em baixo...Este pais é assim têm se muito medo de dizer o que pensa o que farão os poderosos. Nada , pois eles não tem tanto poder assim...Cury, Carlinhos, PT,PSDB e tudo farinha do mesmo saco...Tavam lá na inauguração do SESC com seus discursos de bajuladores...Nestes pais só tem gente covarde...Fofoqueira que nunca age viva Tico Santa Cruz e seu adorável exercito de Brancaleones ...O resto é farofa e alienação...Espero que o povo que está se juntando no Hocus Pocus seja a semente da novidade...Acho que minha geração já se perdeu na mediocridade...Num é que Ricardo Faria e Sr Loester do Santos Pires do Jornal do Povo tem alguma razão...Vamos estudar arte somos todos anafalbetos culturais...E nós dizemos artistas...

João Carlos Faria
Mundo Gaia
Literatura, filosofia e arte
www.mundogaia.com.br

Anônimo disse...

Um piano na chuva?

Joca Faria

A cidade numa manhã se incendeia em movimentos e eu aqui a plantar idéias ...Neste universo virtual...O QUE SOMOS NÓS ?... Existir é um presente dos Deuses e não um carma...Gozar de saúde mental melhor ainda enquanto eu tiver saúde mental ......Escreverei não sei para que mas escreverei...Não mudo nada enquanto não mudar a mim mesmo...Ainda sou uma mariposa em busca de se tornar borboleta... Adorei o começo da minissérie sobre Capitu...Ainda não li Machado de Assis fui vitima do pré-conceito contra este pai de nossa literatura...Mas tudo é valido e agora o lerei...Pois já começo a gozar da maturidade? Não sei quero ser sempre jovem de cabeça estar sempre aberto ao novo? Mas o que há de novo nesta terceira dimensão...Dizem que a quarta-dimensão é o tempo? ... Que fascinante dizem que o tempo não existe...Sei que existo por enquanto me basta...Mas também tudo é uma ilusão...Meus caros dizem que no inferno não há arte...Um amigo ficou trinta segundos nesta dimensão pesada e não suportou...NÃO me lembro de ter adentrado ao inferno...Mas é melhor descer do que cair...GeronimoOOOOOOOOOoooo....Nesta manhã gostosa escrevo com prazer...Escrever como fazer arte é um prazer...Quem sabe um dia vivo de arte...Mas hoje caminho a só pela cidade...Procurando boas companhias...Não gosto da solidão quando estou no centro da cidade...Gosto dela neste momento de criação... Quero voltar a fazer poemas...Compor músicas, fazer artes plásticas...Tudo é valido mas um Piano na Chuva? Vale á pena acho que não... MAS a cada curador uma sentença deve ter lá seus motivos, mas o piano virou sucata...Não cumpre mais sua função de tocar música...DEVERIAM por outras instalações pela cidade...Eu quero um dia fazer instalações em baixo dos viadutos da cidade? Porque não debatem o grafite e a pichação? É ótimo acontecer isto vivemos numa cidade reacionária e conservadora... Precisamos nos repensar e nos unir...Contra a barbárie do estado...E de uma parcela tola de nossa população...Ouvi falar que o espaço de cultura de Eugenio de Mello está abandonado pela própria população? E as verdades doem, mas devem ser debatidas? No mais quem sabe um dia terei um Piano num espaço de cultura que funcione vinte e quatro horas...Um abraço....

João Carlos Faria
Mundo Gaia
Literatura, filosofia e arte...
www.mundogaia.com.br

Anônimo disse...

o seu saladino ,chega desse joca sera que ele nao consegue com seu blog

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO