quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Curi é o único dos candidatos que se nega à assinar compromisso de garantir direitos dos servidores em debate


19 Comentários:

Servidor municipal disse...

é abuso emcima de abuso. Fui ao debate dos servidores e nao consegui entrar porque o prefeito mandou todos os seus comissionados ocuparem o local com 1 hora de antecendencia.

o pior foi la dentro, o homem nao sabe nada de nada, e ainda por cima nao se comprometeu em garantir os direitos adquiridos dos servidores
Uma vergonha, seu este bandido ganhar d enovo , nos servidores estamos fudidos

AC disse...

Sério seu servidor pobre de merda?
E por que Eduardo foi apalaudido de pé la?
Agora só falta dizer que apluadiram por medo...

TONHÃO DUTRA PARA PREFEITO EM 2012

Anônimo disse...

O TUCANO LADRAO, SAI DAI SEU MERDA
FILHO DA PUTA

Anônimo disse...

ai anonimo de tu é um facista prconceituoso mesmo
faço votos pra que algum pobre que hoje ta no crime te trombe e roube até sua alma podre ,ja que tu ta fazendo hora extra na terra mesmo.
depois vai querer falar que o mundo ta violento

ai não adianta ajoelhar e rezar e pedir perdão

será só seu sangue p/ prencher a panela vazia

otario! um dia tu vai colher o odio q planta com seu preconceito


facista de merda

Anônimo disse...

o recado acima é para o tal ac

esse facista filha da puta

Anônimo disse...

Abaixo o FACISMO e como diria o nosso presidente! - Abaixo o Neoliberalismo!

Galera amanhã o Homem estará aqui, ás 11 horas na Praça Afonso Pena dia 27/09!

13 é o caminho!

Anônimo disse...

PARA QUEM ESTÁ PENSANDO EM REELEGER O PT PARA A PREFEITURA,
CONHEÇA O CUSTO HERDADO DA MÁ ADMINISTRAÇÃO DA DRA. ÂNGELA GUADAGNIN
EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS...



R$ 418 milhões (valor atual)




Este é o custo escondido da Administração Ângela - PT em São José dos Campos (1993-1996). Quanto custa uma má administração? Um prefeito, em geral, é avaliado pelo que o povo consegue ver. Existem, no entanto, custos escondidos de uma má administração que ninguém toma conhecimento e que vão pesar no bolso do cidadão por anos. Relaciono abaixo uma parte do custo que estamos pagando pela má administração realizada pelo PT em São José dos Campos. A Administração Ângela - PT está custando em valores atualizados para hoje R$ 418.040.167,36 (quatrocentos e dezoito milhões, quarenta mil, cento e sessenta e sete reais e trinta e seis centavos) para a população joseense. Cada habitante da cidade está pagando R$ 686,44 (seiscentos e oitenta e seis reais e quarenta e quatro centavos) pelo CUSTO PT. Se a Cidade e os seus Cidadãos não estivessem tendo de pagar este alto custo de uma má administração poderiam ser construídos 18 HOSPITAIS MUNICIPAIS, ou 364 ESCOLAS E/OU CRECHES MUNICIPAIS, ou 521 UNIDADES BÁSICAS DE SAÚDE (UBS), ou, ainda, PAVIMENTAR 456 BAIRROS DA CIDADE DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS. Para combater estes custos precisamos de um bom prefeito e vereadores que pensem a longo prazo e saibam identificar estes custos escondidos de uma má administração. Veja aqui o CUSTO ESCONDIDO DA ADMINISTRAÇÃO DO PT EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS:


1 - R$ 89 MILHÕES (valor atual)





Em junho de 1993, a Assessoria do Meio Ambiente da Prefeitura deu parecer favorável à construção de um incinerador industrial da empresa REK Construtora Ltda. depois de realizar audiência pública para debater o projeto. A 21 de julho de 1993, o secretário de Obras da Prefeitura oficiou ao presidente da REK, informando que a solicitação de construção do referido incinerador industrial havia sido aprovada pela Prefeitura. Dois meses depois, a 10 de setembro de 93, a prefeita do PT solicitou à Secretaria de Assuntos Jurídicos um parecer sobre a possibilidade de revogar o alvará de construção expedido no dia 7 de julho. Em resposta, o secretário informou, por escrito, que a prefeita do PT poderia revogar o alvará, tendo, no entanto, que indenizar a empresa pelos gastos já efetuados na obra. A prefeita do PT, alegando o recebimento de um abaixo-assinado da comunidade do bairro onde o incinerador seria construído (documento esse assinado apenas pelo presidente da Sociedade Amigos do Bairro), revogou o alvará e solicitou ao secretário de Obras que oficiasse ao presidente da REK comunicando-o da decisão, o que ocorreu em 17 de julho de 93. A REK entrou com uma ação judicial solicitando da Prefeitura uma indenização de R$ 43 milhões, alegando que, alem dos projetos, já tinha obtido até o financiamento do BNDES. Para fazer sua defesa, a Prefeitura contratou um advogado de São Paulo (aliás, o mesmo que posteriormente defendeu a prefeita do PT em dois processos de cassação) por R$50 mil (para serem pagos em quatro parcelas de R$5 mil e mais três parcelas de R$10 mil), com direito a receber mais 0,35% sobre a redução obtida sobre o custo da ação (Contrato Nº 4152/96 - Proc. Adm. Nº 026384-3/96). .


2 - R$ 2,6 MILHÕES (valor atual)





A URBAM - Urbanizadora Municipal S/A, querendo executar obras de drenagem na avenida que serve como corredor de ônibus no Conjunto Habitacional D. Pedro I, verificou a necessidade de proceder a interligação da tubulação com as galerias de águas pluviais da Avenida '6', do Campo dos Alemães, galerias essas que tinham sido construídas na administração do PT pela empresa Talavassos Construção e Comércio Ltda.. Foi constatado, então, que os serviços executados pela Talavassos se apresentavam em desacordo com as especificações técnicas mencionadas no Contrato de Prestação de Serviços firmado entre a Prefeitura e a referida empreiteira. Para refazer o serviço mal-executado, a Prefeitura arcou com um custo de R$ 172 mil. .




CHÁCARAS REUNIDAS - A mesma empresa Talavassos Construção e Comércio Ltda., foi contratada pela Prefeitura, na administração petista, de acordo com a concorrência pública nº 007/95, tendo por objeto a pavimentação e drenagem do bairro Chácaras Reunidas e das ruas Icatu, José Cobra e George Eastman, incluindo o fornecimento de mão-de-obra, material e equipamentos necessários. As obras tiveram início em 22 de janeiro de 1996 e foram paralisadas em junho daquele mesmo ano. Para esses serviços, as medições elaboradas pelas secretarias de Obras e de Transportes – pela administração do PSDB - demonstraram uma diferença de R$ 1.087.207,17, pagos a mais pela Prefeitura. Em vista disto, a Procuradoria Jurídica da Prefeitura Municipal ingressou com duas ações na Justiça para ressarcir o município dos prejuízos aos cofres públicos municipais causados pela administração do PT no valor de R$1.259.207,17.


3 - R$ 2 MILHÕES (valor atual)





No contrato aditado com a IBM, em 1993, a Prefeitura de São José dos Campos indicou para desenvolver os sistemas nele contidos a empresa APD Informática Ltda., de Ribeirão Preto, sem que essa empresa tivesse qualquer vínculo contratual com a Municipalidade. A APD não executou os trabalhos que lhe foram atribuídos, como: Sistemas de Receita Tributária, Recursos Humanos, Financeiro e Orçamentário. Os sistemas de Recursos Humanos e Financeiro/Orçamentário foram trocados por laboratórios de informática para a Secretaria de Educação. O sistema Tributário deu um prejuízo de aproximadamente R$ 1,3 milhões, pois a Prefeitura teve que adotar outro meio para usufruir dos trabalhos, inclusive contratando uma terceira empresa (Proc. Nº 20980-6/96) Esse acordo feito com a IBM gerou um documento chamado APDV - Acordo de Parcelamento de Dívidas Vencidas, elaborado pela Prefeitura, assinado pelo secretário de Finanças em 22 de abril de 1996, e não cumprido pela administração do PT. A IBM cobrou na época por volta de R$ 1 milhão, pelo pagamento de seis parcelas do acordo. .


4 - R$ 31 MILHÕES (valor atual)





A CPEM (que era contratada com dispensa de licitação para conferir as declarações de recolhimento de ICMS das empresas da cidade) de devedora de mais de R$ 10 milhões à Prefeitura passou, misteriosamente, a credora de aproximadamente R$ 15 milhões. O ex-secretário da Fazenda da administração do PT, Paulo de Tarso Venceslau, denunciou o envolvimento do compadre do Lula, Roberto Teixeira, que cedeu até casa de sua propriedade para ele morar, junto a administrações do PT para favorecer a CPEM, da qual participava o seu próprio irmão, conforme amplamente noticiado pela imprensa na época. Pois bem! Paulo de Tarso contratou a Boucinhas que comprovou em auditoria as irregularidades da CPEM na conferência das declarações de ICMS das empresas da cidade para receber os 20% sobre as diferenças não declaradas. Uma empresa da cidade declarou o recolhimento de R$ 100 mil de ICMS quando na verdade recolhera R$ 1 milhão. Portanto, a CPEM cobrou 20% sobre a diferença de R$ 900 mil. Isto entre tantos outros casos, inclusive de falsificação de documentos, segundo informações fornecidas pelo então secretário da Fazenda da administração do PT e noticiado pela imprensa. A Prefeitura, no entanto, que ganhou em primeira instância em Ação Civil Pública ajuizada pelo Ministério Público por ausência de processo de licitação pública, acabou perdendo no Tribunal de Justiça e no Superior Tribunal de Justiça. Agora se discute o valor dos serviços da CPEM. Vale lembrar que, em conseqüência de sua atuação no 'Caso CPEM', o economista Paulo de Tarso Venceslau foi exonerado do cargo e expurgado do PT.


5 - R$ 41,4 MILHÕES (valor atual)





De acordo com a Lei nº 4220/92, que criou o IPSEM - Instituto de Previdência do Servidor Municipal, a Prefeitura tinha, como custo patronal, que depositar 26% do total da folha de pagamentos para o Instituto (artigo 6º da lei). Na administração do PT esses depósitos foram interrompidos em abril de 1996, o que acarretou um débito de R$ 20 milhões até dezembro daquele ano. Esse débito foi negociado pela administração do PSDB e foi pago pontualmente em parcelas mensais.


6 - R$ 9,3 MILHÕES (valor atual)





A Prefeitura assinou contrato de financiamento com a Caixa Econômica Federal, em 2 de agosto de 1991, com objetivo de aplicar na implantação e pavimentação de uma via urbana ligando o viaduto da Kanebo (na Rodovia Presidente Dutra) na 3ª etapa do Anel Viário. Para esse serviço, a Prefeitura contratou a URBAM, em 9 de agosto dde 1991 (contrato nº 2214/91), a qual, por sua vez, contratou a empresa Mendes Júnior, em 12 de agosto de 1991 (contrato nº 14/91DE). Em 19 de março de 1993, a administração do PT assinou com a Caixa um contrato de re-ratificação da cláusula sexta do contrato elaborado em 2 de agosto de 1991. Em 10 de outubro de 1994, o secretário de Assuntos Jurídicos solicitou do advogado José Eduardo Martins Cardozo (atual deputado federal do PT), um parecer esclarecendo: a) a situação jurídica atual do contrato entre a URBAM e a Prefeitura; e b) a possibilidade de prorrogação e/ou renovação desse contrato sem prévio procedimento licitatório. Baseada no parecer do advogado José Eduardo, a Prefeitura rescindiu o contrato nº 2214/91 com a URBAM e esta rescindiu o contrato com a Mendes Júnior, sem que os serviços já executados fossem pagos. Isso fez com que a Mendes Júnior movesse uma ação judicial contra a URBAM pelos serviços executados e não pagos, sendo condenada a ré (URBAM) a pagar a importância de R$ 4,5 milhões (que, atualizada, representa R$ 9,3 milhões). Para recorrer da condenação, a URBAM teve de penhorar o Estádio Martins Pereira à Justiça. E acabou tendo que pagar a dívida. .


7 - R$ 20,7 MILHÕES (valor atual)





O PT 'achou' na gaveta do Gabinete da Prefeita, nos últimos dias de governo, um precatório judicial de R$ 2,3 milhões para ser pago pela Prefeitura mas que não constou do Orçamento elaborado para 1997. Procurando na mesma gaveta, o então secretário da Fazenda e vice-prefeito, Ednardo de Paula Santos, informou que encontrou condenações em desapropriações não pagas em valor superior a R$ 10 milhões que também precisavam constar do Orçamento de 1997, elaborado em 1996, no último ano da administração da ex-prefeita do PT.


8 - R$ 94,6 MILHÕES (valor atual)





Mesmo sem dispor da competente autorização da Câmara Municipal, a Prefeitura alienou, no decorrer do ano de 1996, na administração do PT, as ações da SABESP, Eletropaulo, Cesp/Light, Telebrás, Petrobrás e Telesp, de sua propriedade, na época (com a Bolsa de Valores operando em baixa) correspondentes a R$ 8.291.529,80.. Saliente-se, a propósito, que essas alienações contrariam o art. 105, § 2º da Lei Federal nº 4.320/64. No bloco das ações alienadas destacam-se, em especial, as da SABESP, incorporadas pela Prefeitura através da Lei 1779/76, art. 5º, lei essa que deu à empresa a concessão para exploração dos serviços de abastecimento de água e coleta e tratamento de esgotos, as quais foram alienadas por R$5.448.384,10. As ações da SABESP representavam 1% das ações integralizadas no Estado e do acervo da empresa (São José dos Campos, afora o Governo do Estado, era provavelmente o maior acionista da SABESP). Na ocasião a prefeita do PT foi alertada por elementos do Departamento de Finanças, em expediente interno de junho de 1995, para os problemas da venda das ações e suas conseqüências como prejudicar a municipalidade futuramente, o que ocorrerá também ao término da concessão , caso o município não queira vir a prorrogá-la; pela venda a preço de mercado, abaixo do valor patrimonial, 'e a possível responsabilização através de ação popular do Executivo por malversação do patrimônio público'. O relatório emitido pelo diretor de Finanças, em julho de 1995, demonstrou que o valor patrimonial das ações era muito superior aos valores oferecidos na Bolsa de Valores. Em conseqüência, um ano após as vendas, em 1997, as ações já estavam cotadas a R$54 milhões. Portanto, um prejuízo atualizado de R$94,6 milhões aos cofres municipais. .


9 - R$ 32,7 MILHÕES (valor atual)





Os gastos com propaganda na administração do PT foram de R$ 15.800.400,00, ou seja: 1993 - R$ 6.300.000,00; 1994 - R$ 741.400,00; 1995 - R$ 3.491.000,00: e 1996 - R$ 5.468.000,00. Esses gastos são referentes a divulgações em rádio, televisão, jornais e com empresas de comunicação. Desse montante, as 'novelinhas' da televisão elaboradas pela Contexto Propaganda consumiram R$ 8,927 milhões. O segundo contrato com a Contexto, no valor inicial de R$5.800.000,00 (mais que foi aditado, chegando a R$8,9 milhões) foi considerado irregular pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo e a ex-prefeita do PT condenada ao pagamento de multa. .


10 - R$ 44,5 MILHÕES (valor atual)



O Ministério Público moveu Ação Civil Pública comprovando o superfaturamento na desapropriação extra-judicial e amigável do Parque da Cidade em 1996 pela administração do PT e o Juiz Titular da 3ª Vara Cível concedeu liminar suspendendo o pagamento das parcelas devidas pela Prefeitura quando já haviam sido pagos R$10.500.000,00 pelo município (R$ 8 milhões pela administração do PSDB). A liminar, inclusive, bloqueia os bens dos envolvidos. Inconformados com a medida liminar, os envolvidos ingressaram com agravo junto ao Tribunal de Justiça que acolheu o recurso para que a Prefeitura continuasse a pagar as parcelas a partir de sua decisão. A Procuradoria Jurídica da Prefeitura já recorreu da decisão junto ao Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, enquanto prossegue tramitando a Ação Civil Pública, em cuja inicial o Ministério Público acusa de fraude a desapropriação extra-judicial promovida pela administração do PT. A Prefeitura, até então, já havia pago R$ 10.500.00 (o valor da avaliação feita pelo Ministério Público é de R$ 12 milhões), dando hoje, uma vez que os valores de R$ 19.600.000,00 da desapropriação são corrigidos e representaram R$ 32.000.000,00, uma economia atualizada de R$ 44.500.000,00 aos cofres públicos municipais. Entretanto, quando a Justiça Estadual estava prestes a setenciar, o INSS, ao tempo em que a ex-prefeita era deputada federal, requereu que o processo fosse remetido à Justiça Federal porque o contrato de desapropriação amigável foi dado como garantia do pagamento da dívida da Tecelagem Parayba, possibilitando o levantamento da penhora de todos os bens da família dos proprietários.





11 - R$ 727,4 MIL (valor atual)




A empresa Serveng Civilsan S/A foi contratada sem concorrência pública, em janeiro de 1996, pela importância de R$ 424.899,10, para executar serviços de drenagem na Avenida Dr. Nelson D'Ávila, sob o viaduto da Rodovia Presidente Dutra, alegando-se 'serviço de emergência'. A dotação orçamentária para execução do trabalho, na ocasião, não era suficiente (havia um saldo de R$ 382.468,89). Por isso foram feitos dois empenhos, um na dotação correspondente e os restantes R$ 42.431,00 foram empenhados em outra dotação. Mais tarde foi cancelado esse empenho de dotação indevida e procedido o empenho na dotação correta, como comprovam as notas de empenho. Após o dia 23 de janeiro de 1996, a Nota de Empenho 2323 foi complementada, uma vez que a referida cotação já estava suplementada por decreto. Foi demonstrada emergência para a contratação do serviço sem concorrência pública, no dia 18 de janeiro de 1996; o contrato com a Serveng foi assinado no dia 23 daquele mês e a ordem de serviço foi emitida 15 dias depois da assinatura do contrato, descaracterizando, aí, o caráter de emergência (Informações colhidas no relatório da CEI efetivada pela Câmara Municipal - Req. 10360/98 - Processo nº 13076/98). Essa mesma empresa, em outubro de 1995, executou esse mesmo serviço em outro local (Av. Bacabal) por R$ 73.480,00 (licitação - carta-convite). Portanto, na contratação de emergência a Prefeitura pagou R$ 351.419,10 a mais do que na contratação licitada. .


12 - R$ 2,5 MILHÕES (valor atual)



Em que pese o art. 211 da Lei Complementar n° 056/92 ser dado como inconstitucional, inclusive com decisão do STF em casos semelhantes, a administração do PT gastou R$ 1,2 milhões com indenização dos cargos de sua confiança. E isto ocorreu no último dia do mandato da ex-prefeita do PT. Os recursos para o pagamento de milionárias indenizações foram obtidos com a venda das ações da SABESP sem autorização legislativa.



13 - R$ 47.MILHÕES (valor atual)





Uma confissão de dívida assinada pela própria administração do PT com a Eletropaulo (atual Bandeirantes Energia) teve os pagamentos suspensos acumulando uma dívida de R$23 milhões que teve de ser renegociada com a empresa com um plano de pagamento exeqüível pela administração do PSDB.




R$ 418 milhões em valor atual foi o Custo PT em São José dos Campos de 1993 a 1996. Cada joseense está pagando 686 reais e 44 centavos por este custo da má administração do PT. R$418 milhões seriam suficientes para a construção de 18 hospitais municipais, ou 364 escolas e/ou creches municipais, ou 521 unidades básicas de saúde, ou, ainda, pavimentar 456 bairros da cidade. Para evitar o Custo PT precisamos de um prefeito e de vereadores que pensem no hoje e no longo prazo e saibam identificar estes custos escondidos de uma má administração.

Anônimo disse...

tiveram que apelar pro molusco apedeuta? Pq será? O carlinhos não se garante não? Falam do eduardo mas os putistas vivem a sombra do molusco. Vão trabalhando pró tunhao dutra 2012 pois essa já dançaram pela 4a vez seguida, viraram fregueses...huahuahahua

Anônimo disse...

é... infelizmente falta massa crítica. sempre fui psdb, mas me nego a votar num cara que não se garante. se ele se espelhasse no emanuel era uma coisa, mas ele se esconde atrás dele... nunca foi e nunca será um sucessor a altura do emanuel. o deputado carlinhos me inspira confiança, e demonstra bom conhecimento de administração e vida pública. vou votar nele e não no partido dele, mas com certeza o eduardo não terá meu voto.

Anônimo disse...

O Carlinhos é só uma máscara, o que preocupa é o que está por trás dela, ou seja, o PT...

Não tem como escapar, voltaremos ao que éramos 15 anos atrás se a petezada voltar...A cidade está boa, qualidade de vida e oportunidades pra quem se esforça e tem vontade de vencer. Ficar em casa esperando por bolsas-familias da vida só gerará conforto e falta de interesse da população.

Não vamos deixar isso acontecer, ruim com o Cury, pior com o PT, e o Carlinhos é PT com Angela e Lula!

Anônimo disse...

qualidade de vida kkkkkkkkkkkk

só se for nas areas nobres ! pracinhas floridas , onde tua visão limitada e sua vidinha medíocre deve habitar


seu babaca ! tu não deve conhecer as periferias de sjc pra falar uma asneira desse tamanho

vai lá e verá a realidade

Anônimo disse...

Teve um aí que falou merda.
PT em Sâo José fez anel viario, hospital municipal, ubs, fundhas, reforma da biblioteca municipal, orçamento participativo..com muito menos orçamento que o cury ladrao fez MUITO MAIS COISA.
governo Lula tem maior geraçao de renda dos ultimos 10 anos, menor desigualdade social, menor taxa de juros dos ultimos 10 anos, maior geração de emprego..entao os tucanos tem q parar de falar merda.

Anônimo disse...

Quer comparar SJC com Jacareí então???

Pq vcs otários não mudam pra lá? Lá é governo dos PuTistas...

Mudem pra lá...Lá tem muita qualidade de vida...HUAUHAUHAUHAUHA

TONHAO DUTRA 2012!

Anônimo disse...

Cada vez tenho mais certeza de que esse anônimo quer chupar a p... do Tonhão Dutra. Tomara que algum pobre te estupre seu FDP, porque você não vai ser homem de colocar seu nome mesmo, então a providência vai dar cabo de você.

Anônimo disse...

Falou machão, vc coloca seu nome né otário?

Ficou toda revoltada a boneca...

Vai pensando em como colocar mais um analfabeto no poder, pois o MuLa já conseguiram, agora só falta a anta:

TONHÃO DUTRA PREFEITO 2012!

HUAHUAHUAHUAUHA

Anônimo disse...

Como é dificil fazer com que as pessoas entendam a necessidade da mudança para beneficio da democracia, da moral, da ética, da justiça. É pena que hoje vemos pessoas defendendo um governo municipal que de honestidade seja só fachada, é lamentavel ver pessoas que falam em favor de um homem que como pessoa possa até ter alguma qualidade, mas como administrador é uma farsa, uma cópia nunca sera como a original esse governo municipal de hoje não é nem de perto o que foi Emanuel Fernandes, que de errado mesmo só tenha deixado um sucessor fraco, covarde e mentiroso, um cara que não valoriza as pessoas que realmente trabalham pra fazer são josé uma cidade de todos, mas que nos ultimos anos é uma cidade de todos que tem dinheiro, conforto e empresas que possam colaborar com a campanha que o fantoche esta fazendo, é triste... mas podemos fazer algo de valoroso e honroso, digam sim a mudança, a oportunidade ao novo, digam sim ao funcionalismo publico de são josé, deem esta chance de sermos valorizados pelo serviço que prestamos, na saude, na educação, nas secretarias e acima de tudo na fundhas, sei do que estou falando pois faço parte deste governo mesmo sendo só uma voz que clama por socorro, mas nos deem esta oportunidade de sermos reconhecidos como trabalhadores valorosos e não como parasitas, assim como os prepostos do prefeito que são cabides verdadeiras sangue sugas dos cofres municipais que chegam para trabalhar depois das 9:00 e antes das 12:00 ja estão indo para os restaurantes fazerem suas refeições que só pesam no estomago porque na conciência... que chegam depois das 14:00 e antes da 17:00 ja picaram a mula pra não correrem o risco de sair junto com um monte de gente que trabalhou o dia todo e terem que responder a um boa tarde ou algo do genero... vamos mudar chega... é hora de renovar a prefeitura a camara e as secretarias...

Anônimo disse...

Ai ac disse... seu psdbesta de merrrrda, vc quer saber pq aplaudiram ele, pq só tinha comicionado lá, vc sabe o que é isso não sabe? vc ta com pinta que é um desses vagabundos que estão mamando na teta da prefeitura, e eu digo que bateram palmas pra CÚry de medo sim, medo de secar a fonte do dinheiro facil... ja pensou suas mães e mulheres voltarem a rodar bolsinha... melhor não né psdbesta de merrrrrda.

Anônimo disse...

Se você colocar o seu nome, anônimo PSDB, eu coloco o meu. Essa coisa de boneca que vc disse é de PSDBesta, nazistões enrustidos e chupa p... de rico.

TONHÃO DUTRA NO TRASEIRO DESSE TUCANO, ATÉ 2012!!

Guerreira disse...

quanto mais eu leio o que estes PSDbestas escrevem mais eu me convenço de que argumento é uma palavra que não existe no vocabulário deles, so sabem nos xingar, mandar -nos estudar, mas argumento que é bom NADA!!!!


Carlinhos PT 13

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO