sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Hitler não morreu

Berlim 1945.

Em seu bunker, Hitler e seus aliados mais próximos assistiam atônitos a queda do Reich, com o avanço das tropas soviéticas. Diante da derrota iminente, Hitler e seus comparsas tinham de tomar uma decisão: se render, fugir, se matar. Foi então que Hitler tomou a decisão. Morrer pra preservar o mito, ao invés de se render. E assim, os soldados soviéticos encontram seu corpo junto ao de sua amante judia Eva Braun devidamente incinerados... Enquanto Hitler, disfarçado, de cabeça raspada e sem seu bigodinho característico fugia pela portas dos fundos num dos maiores blefes da história.

Junto com alguns correligionários mais próximos como Joseph Mengele, fugiu para a América Latina, onde seu amigo e aprendiz Getúlio Vargas, lhes deu guarida.

Dispersando-se de seus correligionários, afim de despistar qualquer suspeita, Hitler, mudou-se para São José dos Campos, cidade do interior do Estado de São Paulo que estava nos planos dos militares e da extrema direita nacional, conhecida até então por explorar tuberculosos com seus questionáveis benefícios terapêuticos através do clima.

Em São José, Hitler, sentiu-se em casa. Aprendeu com os habitantes locais que, ao contrário de suas câmaras de gás e campos de concentração que buscavam exterminar minorias contrárias, aqui, o que se fazia era justamente mantê-los vivos em sanatórios, onde, sempre debilitados, eram presa fácil para manipulações de toda ordem, além de que caia muito bem como primeira prática de sucesso do que hoje se convencionou chamar de responsabilidade social, que nada mais é do que explorar as pessoas e estas, sorridentes, ainda ficarem lhes devendo favor.

Como precisava passar desapercebido mas tinha viva curiosidade em conhecer as características de tão distinto povo, Hitler se disfarçou de pipoqueiro e fazia ponto em frente a Igreja Matriz da cidade.

Hitler se distraia com as “explosões” das pipocas na panela, lembrando seus dias de glória, enquanto metodicamente arquitetava seu retorno.

O tempo foi passando, os militares enfim deram um golpe na frágil república e Hilter envelhecendo.

No ano de 1970, aos 81 anos, Hitler então percebeu que não teria tempo nem saúde suficientes para estabelecer a Nova Ordem Mundial, foi então que, num ato extremado, recorreu à antigos rituais aprendidos junto à Ordem de Thule, onde convocou o próprio diabo em pessoa para firmar um pacto.

O diabo sugeriu-lhe o antigo ritual da troca de corpos, onde Hitler precisaria encontrar um garoto de 7 anos de idade, impuro (não virgem) para que pudesse suceder a troca.

Hitler passou então a observar todos os garotos da redondeza afim de encontrar um que se encaixasse no perfil, até que encontrou um garotinho introvertido, descendente de libaneses, que vivia “batendo figurinhas” com os garotos mais velhos atrás de um abacateiro.

Hitler não teve dúvidas. Era aquele o garoto. Fez amizade com o garoto e esperando o momento propício, no caso, a copa de 70, enquanto as atenções de toda nação se concentravam num jogo do Brasil, realizou seu tenebroso ritual.

Como o garoto era tímido, retraído, ninguém notou grandes diferenças, pois Hitler adotou todos os hábitos que havia observado no garoto durante seu período de observação, entre eles, uma curiosa predileção por brincar com bonecas.

Já o pobre garoto, agora no corpo do velho enlouqueceu e acabou internado e morrendo como indigente num dos sanatórios da cidade.

Agora com um novo corpo, Hitler passou então a se preparar novamente para sua missão, muitas vezes vestindo a tediosa pele de cordeiro que caia pesada em seus ombros de lobo.
Cresceu, virou esportista, fez faculdade e se aproximou meio sem dar por perceber do meio político da cidade.

Viu nascer e cair pequenas lideranças locais até que vislumbrou uma chance real em um novato com um discurso de direita, no melhor estilo TFP (Tradição Família Propriedade) cair no gosto popular e nele se agarrou como carrapato.

Percebendo uma sexualidade mal resolvida deste líder, que se acentuava em seus frequentes momentos de embriaguez, Hitler, sem medir grandes esforços, tornou-se seu mancebo e, não demorou muito, acabou sendo indicado por este como seu sucessor.

De volta ao poder, Hitler agora prefeito, reiniciou sua velha tática: aproximou-se do empresariado e da elite local, a qual propôs acordos governamentais em troca de financiamento.

Enquanto isso blindou-se de mulheres-sargento, comprou a midia local e iniciou seu processo hegemônico de calar as minorias.

Hoje Hitler, em seu segundo mandato como prefeito, enquanto traça novos planos megalomaníacos, não consegue disfarçar seu destempero e autoritarismo, com suas medidas e declarações unilaterais, preconceituosas de modo que, a cada dia, mais e mais suspeitas sobre sua real identidade recaem sobre si.

Qual será o próximo passo de Hitler, só a história dirá, enquanto isso, fiquemos atentos.

Jorge Saladino

11 Comentários:

Anônimo disse...

Saladino
Nada como um dia 16 para ler uma fábula dessas, só podia ser sua. Nas entrelinhas pude vislumbrar o príncipe das trevas com seu cachecol de chumbo, com o talento especial para derrubar as torres...Parabéns Saladino! Gostaria de ter escrito essa fábula fabulosa, pois caiu perfeito pra esse prefeito imperfeito no império de São José das lamas (das lamas e não dos lamas, hahaha!!!).
Gosto da máscara, não do rosto!
Abraços!!!

Anônimo disse...

Nossa Saladino muito boa esta fábula. Assim algúem chamou esta até o Cury iria adorar sugiro pegar uns temas de conjutura nacional e internacional...Tem muito talento...
Abraços...NÃO VAI ESCREVER SOBRE A FUNDAÇÃO?

Joca Faria

Anônimo disse...

Sensasional!

Anônimo disse...

Corrigindo: Sensacional!

Anônimo disse...

Um Pastor com Coragem

Interessante oração feita em Kansas na sessão de abertura do Senado deles. Parece que oração ainda chateia algumas pessoas.

Quando pediram para o ministro Joe Wright abrir a nova sessão do Senado de Kansas, todos estavam esperando o tradicional discurso, mas isso foi o que eles ouviram:

Pai celeste, nós estamos diante de Ti hoje para pedir Teu perdão e para buscar Tua direção e liderança.

Nós sabemos que Tua palavra diz, 'Cuidado com aqueles que chamam o mal de bem,' mas isto é exatamente o que temos feito.

Nós perdemos nosso equilíbrio espiritual e revertemos nossos valores.

Nós exploramos os pobres e chamamos isso de loteria.

Nós recompensamos preguiça e chamamos isso de bem-estar.

Nós cometemos aborto e chamamos isso de escolha.

Nós matamos os que são a favor do aborto e chamamos de justificável.

Nós negligenciamos a disciplina de nossos filhos e chamamos isso de construção de auto-estima.

Nós abusamos do poder e chamamos isso de política.

Nós invejamos as coisas dos outros e chamamos isso de ambição.

Nós poluímos o ar com coisas profanas e pornografia e chamamos isso de liberdade de expressão.

Nós ridicularizamos os valores dos nossos antepassados e chamamos isso de iluminismo.

Sonda-nos, oh, Deus, e conhece os nossos corações hoje; nos limpa de todo pecado e nos liberta.

Amém!

A resposta foi imediata.

Um número de legisladores saíram durante a oração em forma de protesto. Em 6 semanas, a igreja chamada Central Christian Church, onde o Rev. Wright é pastor, recebeu mais que 5.000 ligaçoes e somente 47 foram negativas. A igreja agora está recebendo pedidos internacionais de cópias desta oração, como a Índia, África e Korea.

O comentarista Paul Harvey colocou essa oração no ar no seu programa de rádio 'O Resto da História', e recebeu o maior índice de ouvintes que o seu programa já teve.

Com a ajuda do Senhor, deixe essa oração ir para todo o canto da nossa nação. Para que essa oração, novamente, de todo o nosso coração volte a ser nosso desejo, para que possamos de novo ser chamados 'uma nação dirigida por Deus'

Me lembrei de alguns politicos joseenses, será que estou errado, o que acham??? abraços saladino

Anônimo disse...

Bem que eu estava desconfiando!kkk

Anônimo disse...

Boca no trombone,
Que Hitler que nada, o dudu kibe cury é só um ladrãozinho barato, pau mandado do kogima pilantra defundo que tb fabricou o manezinho deputado fio terra fernandes. Quema sabe tudo da vida deles é a juana sapatão blanco, a dona do dinheiro na espanha agora instalada na prefeitura que virou uma grande bacanal que tem até o padre renato chupando rola, é o dinheiro do povo se esvaindo pelos ralos da sacanagem. falaí croude lambe chota moura.

Brecht de Souza disse...

Caro Saladino:

Se temos um Adolf Curi temos também um Stalin Baptista ... Não deixe de voltar ao tema Gargione e "sua" UNIVAP. Para este talvez a melhor metáfora seja um novo Stalin (um que não renunciou a ser coroinha pela vida afora) mas que criou seu próprio Gulag particular enviando aqueles que se recusam a ser "suas ovelhas" para a Sibéria do desemprego, fechando laboratórios, impedindo a entrada no campus para os cidadãos que estão em sua lista negra e fazendo as mil maracutaias que levaram o Ministério Público a investigá-lo com uma provável decisão nos próximos meses. Intervenção na Fundação Valeparaibana de Ensino !

Samantha disse...

Muito bom o texto !! interessante e criativo !

Lipe disse...

Bom todos nós duvidamos sim de que um homem estremamente inteligente tenha se matado e não usado a sua inteligencia para a sua sobrevivencia!

Anônimo disse...

Texto ridiculo que so pode ter saido de uma mente doente de pederasta promiscuo de favelado.
Se nao gosta da cidade volte pro lugar de onde saiu.

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO