sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Terrorismo de Gravata – Empresários usam crise para explorar ainda mais a mão-de-obra


Terrorismo de Gravata – Empresários usam crise para explorar ainda mais a mão-de-obra

Enquanto a gente engole feito gado a idéia de que um monte de gente pobre, explorada e desnutrida no Oriente Médio, com pedras e meia dúzia de morteiros é terrorista, aqui os empresários e especuladores que em sua sanha acumulativa, quebraram o mundo gerando a crise econômica de superprodução que estamos vivendo, aproveitam o clima de desespero generalizado no cidadão comum, que teme o “fantasma de desemprego” para chantagear governos, sindicatos, trabalhadores e opinião pública, a abrirem mãos das poucas garantias conquistadas em troca de uma “não garantida” contrapartida em estabilidade e geração de empregos.

Uma novela que a gente já conhece o final:

Diminuem o salário e não aumentam nunca mais; transformam horas-extras em bancos de horas para aumentar a produção sem custo e depois metem o pé na bunda mais cedo do empregado quando sacia a demanda por produção como agora; exigem vantagens fiscais como isenções e reduções de impostos, cessão de terrenos públicos e financiamentos do governo e depois que comeram tudo, dão um pé na bunda de todo mundo e novas chantagens para morderem ainda mais.

Depois terrorista é um militante do Hamas que venceu a eleição de maneira legítima em seu país mas não pode governar porque prefere trabalhar pelo seu povo ao invés de encher o rabo de empresários estrangeiros de dinheiro ganho à custa do sangue e da dignidade de seu povo.

Esses terroristas de gravata que de suas limousines e celulares controlam se você vai ter ou não comida na sua mesa continuam circulando por aí como se fossem “salvadores da pátria”, afinal, com o dinheiro que roubaram da exploração de nossa força de trabalho, tem condições de controlar a mídia de massa e formadores de opinião à nos convencer de que eles estão sempre certos e nós, os explorados, sempre errados.

Jorge Saladino

9 Comentários:

Mabelle disse...

Parabéns pelos textos! Gostei muito.
E, claro, obrigada pela visita ;)

Lingua de Trapo disse...

Ainda bem que não estou só quando denuncio esta armação. Valeu o obrigado por acompanhar o Língua de Trapo.

BrunoU in Rio disse...

boa observação.
eu já tinha pensado sobre isto, mas não deste modo.
agora os empresários tem um "pretesto" para mendigar o salário.

Lelo disse...

Olá Jorge, é sempre assim: eles metem a mão descaradamente nos ativos dos bancos, que por sua vez quebram, aí os governos cobrem o rombo deixado por "eles" com dinheiro público. Instala-se a "crise" financeira e recessiva no mundo "globalizado", e o que fazem, então: "ou o senhor aceita esse salário (esmola), ou.... rua.
E os geradores da tal crise? Nos iates, nas limousines, nas ferraris e nos cassinos...
O pior, é que o Brasil não tem que pagar o pato se o CityBank quebrou, eles que se virem lá.Levantem seus traseiros gordos das fofas poltronas e vão trabalhar, cambada de chupa cabras...
abraço

Nocturna disse...

É assim Saladino, aí no Brasil, como cá em Portugal ( suponho que um pouco por todo o mundo) os gestores encheram os bolsos com dinheiro que não era deles, mas dos accionistas, e agora que, com a crise mundial, se percebeu que as as empresas estavam descapitalizadas, vão pedir ao governo que meta dinheiro que é nosso( são os nossos impostos) nas empresas para as salvar.
Aqui em Portugal, está preso um grande banqueiro,descobriu-se agora que já se tinha divorciado da mulher, com quem continuava a viver,e tinha passado todos os bens para o nome dela. Resultado : o banqueiro é pobre como um sem-abrigo e não «pode» devolver o dinheiro aos depositantes. É preciso não ter nenhuma vergonha.Vigarista é o que ele é,e os governos escondem tudo isto a coberto da "crise mundial".
Um abraço nocturno

karina disse...

Cada vez mais aqueles que pregam uma sociedade igualitária e dizem oferecer oportunidades estão mascarando o futuro, querem funcionários robôs e descartáveis a ponto de desligar do sucesso a hora que bem entendem. A corda sempre arrebenta do lado mais fraco, seja no setor privado ou seja no público, um prefeito pode atrasar sálários do funcionalismo, mas suas contas pessoais continuam em dia...A empresa passa por uma crise, os funcionários temem, mas o alto escalão ainda planeja suas férias...patético....Obrigada pela visita, é sempre bom conhecer gente inteligente e sendo da minha cidade, nem se fale.

karina disse...

docekeri.blogspot.com
karina

Anônimo disse...

Boca no trombone:
Tá na hora de mudar o nome da cidade, que tal São José das Putas, ou Saão José dos Pilantras - Puta que Pariu não dá, já tem em MG - confiram: http://www.dormiu.com.br/curiosidades/puta-que-pariu-bela-vista-mg-846/

Jorge H. Saladino disse...

Amigos, é sempre mais fácil assistirmos bebados de cerveja num sofá a desgraça alheia do que percebermos que fazemos parte do mesmo barco, apesar de acharmos que estamos num Cruzeiro.

Só que este Cruzeiro é no Titanic

  ©Template by Dicas Blogger.

TOPO